REFLEXÃO/HOMILIA PARA SEGUNDA-FEIRA DA DÉCIMA SEXTA SEMANA (16ª) DO TEMPO COMUM

A PROFUNDA REALIDADE DA SANTA EUCARISTIA: ALÉM DA BUSCA DE SINAIS E MARAVILHAS

Primeira Leitura: Êxodo 14,5-18
Salmo Responsorial: Êxodo 15,1-6
Leitura do Evangelho: Mateus 12,38-42
____________________________________

No agitado cenário do Cristianismo atual, parece haver uma fome insaciável por sinais e maravilhas. As pessoas se aglomeram para testemunhar manifestações miraculosas, buscando ansiosamente exibições externas do poder divino. Embora seja natural que os seres humanos busquem significado, propósito e validação em suas vidas, depender exclusivamente de sinais e maravilhas como medida de fé ou prova do divino pode levar a várias armadilhas e desafios. No entanto, em meio a essa busca por fenômenos extraordinários, frequentemente negligenciamos a realidade profunda e duradoura que está diante de nós: a Sagrada Eucaristia. No Evangelho de hoje, Cristo nos aponta o sinal de Jonas, uma prefiguração de sua própria ressurreição, e enfatiza que algo maior do que Salomão está no meio deles. Essa história de advertência serve como um lembrete atemporal da futilidade da busca por sinais e maravilhas enquanto ignoramos o maior sinal de todos, ou seja, a Sagrada Eucaristia, o memorial da morte e ressurreição de Cristo.

Na Primeira Leitura, do Livro do Êxodo 14,5-18, e no Salmo Responsorial, do Livro do Êxodo 15,1-6, encontramos um sinal significativo do poder e presença de Deus – a abertura do Mar Vermelho. Foi um evento milagroso que deveria ter deixado uma marca indelével nos corações dos Filhos de Israel. No entanto, à medida que sua jornada no deserto continuava, eles pareciam ter esquecido esse sinal impressionante, questionando a providência de Deus e perdendo a fé em suas promessas. Infelizmente, esse padrão persiste hoje, pois muitos cristãos buscam sinais e maravilhas sem apreciar plenamente os grandes mistérios já revelados a nós pelos sacramentos.

Infelizmente, o clamor por demonstrações milagrosas parece insaciável, conforme Mateus revela o pedido dos escribas e fariseus em seu Evangelho (Mateus 12:38-42). Aqui, eles exigiam mais provas de Jesus, apesar de testemunharem inúmeros milagres. No entanto, em meio a essa busca por sinais extraordinários, há uma advertência profunda das próprias palavras de Cristo. Ele repreendeu aqueles que buscavam mais maravilhas, declarando que o maior sinal já estava diante deles – a Sagrada Eucaristia, o memorial de sua morte e ressurreição, simbolizado no sinal de Jonas e que supera a sabedoria de Salomão.

Caros amigos em Cristo, a Sagrada Eucaristia é o sinal e a realidade preeminente da presença de Deus entre nós. Jesus, ao se referir ao “sinal de Jonas”, apontou para sua própria morte e ressurreição, prefigurada nos três dias em que o profeta Jonas permaneceu no ventre da baleia. Esse sinal supremo do amor sacrificial de Cristo é perpetuado na Sagrada Eucaristia, onde Ele está verdadeiramente presente no pão e no vinho consagrados. É uma realidade milagrosa que transcende todas as outras maravilhas e, no entanto, muitas vezes é recebida com descrença e indiferença. Nós (católicos) fomos abençoados com inúmeros milagres eucarísticos ao longo da história, onde as hóstias consagradas se transformaram visivelmente em carne e sangue. Esses eventos servem como sinais tangíveis do profundo amor e presença de Deus na Eucaristia. No entanto, apesar desses acontecimentos extraordinários, muitos ainda lutam com dúvidas e não reconhecem a magnitude da presença real de Cristo na Eucaristia. Essa contradição destaca a tendência humana de ansiar por mais sinais, negligenciando o maior sinal de todos – a presença duradoura de Cristo no Santíssimo Sacramento.

A busca por sinais e maravilhas em várias igrejas e ministérios pode levar a uma experiência superficial e desconexa de fé. É uma realidade desanimadora que alguns possam pular de uma igreja para outra em busca do próximo evento espetacular, sem jamais abraçar plenamente os mistérios profundos revelados nos sacramentos. Somos chamados a lembrar que o verdadeiro Cristianismo não é uma busca por sinais e maravilhas, mas sim um relacionamento profundo e íntimo com Cristo, nutrido através da oração, da Palavra de Deus e da vida sacramental.

Acima de tudo, a busca por sinais e maravilhas pode nos distrair da maior realidade – a Sagrada Eucaristia, onde reside o amor e a presença de Cristo. Vamos atender ao aviso de Cristo e encontrar contentamento e plenitude nos profundos mistérios de nossa fé, abraçando o sinal de Jonas e superando a sabedoria de Salomão por meio de nossa fé inabalável na Sagrada Eucaristia. A Sagrada Eucaristia, como o maior sinal, nos chama a abraçar a realidade do sacrifício e ressurreição de Cristo, concedendo-nos esperança eterna e comunhão com nosso Salvador. Encontremos contentamento nos Sacramentos e cultivemos uma fé forte e inabalável, reconhecendo os constantes milagres de Deus em nossas vidas.

(CLIQUE AQUI PARA A REFLEXÃO DO PRÓXIMO DIA: REFLEXÃO/HOMILIA PARA A FESTA DE SÃO TIAGO, APÓSTOLO)

Shalom!
© Pe. Chinaka Justin Mbaeri, OSJ
Paróquia Nossa Senhora de Loreto, Vila Medeiros, São Paulo, Brasil
nozickcjoe@gmail.com / fadacjay@gmail.com

__________________________
Já rezaste o teu terço hoje?

NEVER MISS AN UPDATE AGAIN.

Subscribe to latest posts via email.


Chinaka Justin Mbaeri

A staunch Roman Catholic and an Apologist of the Christian faith. More about him here.

View all posts
Subscribe
Notify of
guest

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

0 Comments
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x