REFLEXÃO/HOMILIA PARA O SÁBADO DA DÉCIMA SEGUNDA SEMANA DO TEMPO COMUM

O PODER TRANSFORMADOR DA PRESENÇA E DO AMOR DE DEUS ATRAVÉS DE ATOS DE HOSPITALIDADE, HUMILDE ENTREGA, FÉ, ETC.

Primeira Leitura: Gênesis 18,1-15
Salmo Responsorial: Lucas 1,46-50,53-55
Leitura do Evangelho: Mateus 8,5-17
_________________________________________

Em uma sociedade muitas vezes ofuscada por quebrantamento e desespero, ansiamos por um vislumbre de esperança, um farol de luz para nos guiar através do labirinto de nossa existência. É nesse anseio que descobrimos a natureza transformadora da presença e do amor de Deus. É um encontro que desafia a lógica e ultrapassa a compreensão humana, pois quando nos aproximamos do Divino, o próprio tecido do nosso ser é refeito. Ao longo das páginas da Sagrada Escritura, encontramos histórias de homens e mulheres comuns cujas vidas foram alteradas para sempre pelo toque do amor de Deus. Abraão, chamado a deixar sua pátria e tornar-se pai de nações. Moisés, de pé diante da sarça ardente, comissionado para conduzir o povo de Deus para fora da escravidão. A bem-aventurada Virgem Maria, humilde serva, escolhida para gerar o Filho de Deus. O poder transformador da presença e do amor de Deus se manifestou em suas vidas, colocando-os em caminhos extraordinários de propósito e destino. Assim como o sol da manhã perfura a escuridão, banindo as sombras da noite, também a presença de Deus ilumina as profundezas de nossas almas. É em Sua presença que somos confrontados com a realidade de quem somos e de quem somos chamados a ser. Nossos medos e inseguranças são expostos e, no entanto, no abraço de Seu amor, encontramos consolo e coragem para enfrentar nossas lutas mais íntimas. Portanto, nas leituras litúrgicas de hoje, somos chamados a explorar a profunda verdade de que o encontro com o Deus vivo tem a capacidade de remodelar nossas vidas de maneiras que nunca poderíamos imaginar. É uma verdade que mexe com o âmago de nosso ser, lembrando-nos de que não somos meros espectadores no grande teatro da vida, mas participantes ativos de uma sinfonia divina de amor e redenção.

Imagine, se quiser, um mundo onde a presença de Deus toca todos os aspectos de nossa vida — um mundo onde Seu amor permeia nossos pensamentos, palavras e ações. Na primeira leitura do Génesis (18,1-15), vemos Abraão, homem escolhido por Deus para ser pai de muitas nações, dando um humilde gesto de hospitalidade aos “estrangeiros”. Num ato de extraordinária hospitalidade, ele os recebe de braços abertos, oferecendo-lhes um lugar de descanso, alimento e cuidado. Mal sabia Abraham que esse ato de hospitalidade levaria a um encontro transformador. O próprio Deus revela a Abraão a promessa de um filho, um filho de sua própria carne e sangue, apesar da idade avançada tanto de Abraão quanto de Sara. O poder transformador da presença e do amor de Deus é evidente neste encontro, pois quebra as limitações da compreensão humana e traz o cumprimento da promessa de Deus.

O Salmo Responsorial (Lucas 1,46-50,53-55), conhecido como o Magnificat, ecoa a natureza transformadora da presença e do amor de Deus. É uma canção de louvor cantada pela Bem-Aventurada Virgem Maria. Neste belo hino, Maria proclama a grandeza de Deus, reconhecendo Sua misericórdia, força e fidelidade. Ela engrandece o Senhor por Seu cuidado amoroso com os humildes e Sua promessa de salvação para todas as gerações. A humilde rendição de Maria ao plano de Deus tornou-se o catalisador do evento mais extraordinário da história humana – a Encarnação do Filho de Deus. Através do seu fiat, do seu “sim” à vontade de Deus, Maria tornou-se um vaso do amor de Deus e trouxe ao mundo a força transformadora da Sua presença.

Voltando nosso olhar para a leitura do Evangelho de Mateus (8,5-17), testemunhamos o poder transformador do amor de Deus por meio do ministério de cura de Jesus. Um centurião romano, um homem de autoridade e poder, aproxima-se de Jesus com um pedido para curar seu servo. Reconhecendo a autoridade e o poder de Jesus, o centurião demonstra profunda fé, dizendo: “Senhor, não sou digno de que entres em minha casa, mas dize apenas uma palavra, e meu servo será curado”. Jesus se maravilha com a fé do centurião e o elogia por sua confiança. Nesse exato momento, o servo é curado. Jesus passa a curar muitos outros que estão doentes e oprimidos, demonstrando a natureza transformadora de Sua presença e amor. O toque de Sua mão traz restauração, libertação e cura.

Quando entrelaçamos os fios da hospitalidade, rendição humilde e fé dessas leituras, surge uma bela tapeçaria – uma tapeçaria que revela a natureza transformadora da presença e do amor de Deus em nossas vidas. Por meio de atos de hospitalidade, criamos espaço para a presença de Deus entrar e nos abençoar. Por meio da rendição humilde, nos tornamos vasos por meio dos quais Sua obra transformadora é realizada. E pela fé, nos abrimos ao toque de Sua mão curadora e ao poder de Seu amor. Ao refletirmos sobre essas leituras, podemos ser inspirados a abraçar atos de hospitalidade, estendendo bondade e boas-vindas aos que nos rodeiam. Que possamos nos entregar humildemente à vontade de Deus, permitindo que Seu amor guie nossas vidas e molde nossos corações. E que possamos nutrir uma fé profunda e inabalável, colocando nossa confiança na autoridade de Deus e entregando nossas dúvidas e medos. Ao fazer isso, convidamos o poder transformador da presença e do amor de Deus a fluir através de nós, trazendo cura, restauração e profunda transformação para nossas vidas e para as vidas de outras pessoas.

Queridos amigos em Cristo, refletindo sobre estas leituras, perguntemo-nos: estamos abertos à força transformadora do amor de Deus? Confiamos em Sua autoridade e entregamos nossas vidas à Sua vontade? Estamos dispostos a ser vasos de Seu amor, trazendo cura e transformação para aqueles ao nosso redor? Que possamos nos esforçar para ser como Abraão, oferecendo hospitalidade aos outros e criando espaço para a presença de Deus entrar em nossas vidas. Que possamos imitar a humilde rendição de Maria, permitindo que o amor de Deus molde nossos pensamentos, palavras e ações. E que tenhamos fé como o centurião, confiando na autoridade de Jesus e experimentando o poder transformador de Seu toque curador. Oremos pela graça de estarmos abertos ao amor transformador de Deus e de abraçar Sua presença em nossas vidas. Que Seu amor nos transforme, nos cure e nos capacite para sermos instrumentos de Sua paz em nossas famílias, comunidades e no mundo em geral. Que a natureza transformadora da presença e do amor de Deus esteja sempre presente em nossas vidas, trazendo esperança, alegria e mudança duradoura. Amém.

(CLIQUE AQUI PARA A REFLEXÃO DO PRÓXIMO DIA: REFLEXÃO/HOMILIA PARA A REFLEXÃO/HOMILIA PARA A SOLENIDADE DE SÃO PEDRO E PAULO)

Shalom!
© Pe. Chinaka Justin Mbaeri, OSJ
Paróquia Nossa Senhora de Loreto, Vila Medeiros, São Paulo, Brasil
nozickcjoe@gmail.com / fadacjay@gmail.com

___________________________________
Você já rezou o terço hoje?

NEVER MISS AN UPDATE AGAIN.

Subscribe to latest posts via email.


Chinaka Justin Mbaeri

A staunch Roman Catholic and an Apologist of the Christian faith. More about him here.

View all posts
Subscribe
Notify of
guest

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

0 Comments
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x

Discover more from Fr. Chinaka's Media

Subscribe now to keep reading and get access to the full archive.

Continue reading