REFLEXÃO/HOMILIA PARA O DÉCIMO SEGUNDO DOMINGO DO TEMPO COMUM DO ANO A

SUPERANDO O MEDO E ABRAÇANDO A CORAGEM DIANTE DA OPOSIÇÃO E DA PERSEGUIÇÃO

Primeira Leitura: Jeremias 20,10-13
Salmo Responsorial: Sl. 68(69),8-10,14,17,33-35
Segunda Leitura: Romanos 5,12-15
Leitura do Evangelho: Mateus 10,26-33
__________________________________

Num mundo muitas vezes repleto de incertezas e adversidades, juntamente com a presença de malfeitores ao nosso redor, o medo muitas vezes aparece como um gigante formidável, ameaçando paralisar nossos sonhos e destruir nossos espíritos; às vezes, isso pode lançar uma sombra longa e assustadora sobre nossas vidas. Infelizmente, isso pode nos manter cativos, inibindo nosso crescimento e nos impedindo de abraçar as possibilidades ilimitadas que estão diante de nós. No entanto, nas profundezas de nossa apreensão, existe um convite inabalável de nosso Salvador para abandonar o medo e cultivar coragem, fé e confiança em Deus. É esse anseio que nos convida a examinar as palavras profundas de Jesus e o exemplo resoluto de Jeremias – um chamado para eliminar o medo de nossas vidas e abraçar uma corajosa confiança em Deus. Em outras palavras, as leituras de hoje nos convidam a abraçar coragem, confiança e fé inabalável diante da adversidade. Eles nos lembram que, mesmo nos momentos mais sombrios, nunca estamos sozinhos, pois a presença divina caminha ao nosso lado, iluminando nosso caminho e fortalecendo nosso espírito.

Tomando como ponto de partida a Primeira Leitura (de Jeremias 20,10-13), testemunhamos a angústia e a perseguição do profeta, mas em meio às suas lutas, ele encontra consolo no apoio inabalável do Senhor. Jeremias expressa sua frustração e angústia pela rejeição e perseguição que enfrentou devido ao seu chamado profético. Ele descreve vividamente como se tornou motivo de chacota e objeto de zombaria, pois sua mensagem de julgamento iminente e exílio foi recebida com resistência e descrença. Apesar da oposição esmagadora – como seus adversários tentaram silenciar sua voz e o preço pessoal que isso teve sobre ele, a fé de Jeremias em Deus permaneceu inabalável. Jeremias reconhece que a verdade de Deus não pode ser suprimida e deve continuar a proclamá-la, independentemente das consequências. O que me impressiona nessa passagem é o compromisso inabalável de Jeremias com o chamado de Deus, mesmo diante de imensa oposição e sofrimento pessoal. Ele é honesto sobre suas lutas, derramando sua angústia diante do Senhor, mas finalmente encontra força e consolo na presença de Deus. Jeremias reconhece o poder indomável de Deus. Nas profundezas de seu desespero, ele se volta para o Todo-Poderoso, que se torna seu refúgio e fonte de força.

Num nexo, o Salmo Responsorial, extraído dos Salmos 68(69),8-10,14,17,33-35, ecoa o sentimento da experiência de Jeremias. Retrata um apelo a Deus pela salvação e libertação das profundezas do sofrimento. Em nossa própria vida, podemos encontrar momentos de solidão, dor e incerteza, mas podemos nos consolar com a verdade de que o Senhor ouve nossos clamores e estenderá Sua misericórdia e amor a nós. Em nossa vulnerabilidade, encontramos força ao nos rendermos à providência divina que nos eleva e nos conduz.

O tema de abraçar coragem, confiança e fé inabalável em Deus, mesmo diante da adversidade e do medo, continua a ressoar na segunda leitura (Romanos 5,12-15). Nesta passagem, São Paulo revela o poder redentor do sacrifício de Cristo. Romanos 5,12 explica que o pecado entrou no mundo por meio de um homem, Adão, o que resultou em morte e medo. O medo é uma consequência da presença do pecado em nossas vidas. Ao reconhecer esta verdade, entendemos que o medo não faz parte do projeto original de Deus para a humanidade. O desejo de Deus é que vivamos livres do medo e experimentemos Sua vida abundante. Enquanto o pecado trouxe medo e morte ao mundo, o versículo 15 destaca o incrível poder da graça de Deus por meio de Jesus Cristo. Afirma que a graça de Deus e o dom que veio por meio de Cristo transbordou para muitos. Essa graça é um divisor de águas em nossa batalha contra o medo. É por meio da morte sacrificial e ressurreição de Jesus que podemos encontrar perdão, libertação do pecado e força para vencer o medo. Em outras palavras, Romanos 5:15 nos encoraja a aceitar o apoio de Deus para vencer o medo. Isso nos lembra que se a transgressão de um homem (Adão) resultou na morte de muitos, quanto mais a graça de Deus transbordou para muitos por meio de Jesus Cristo. Este versículo nos assegura que o apoio de Deus é abundante e muito maior do que qualquer medo que possamos enfrentar. Quando colocamos nossa confiança Nele, Sua graça nos capacita a vencer o medo e viver vitoriosamente.

Da mesma forma, ouvimos o convite de nosso Salvador na Leitura do Evangelho (Mateus 10:26-33) três vezes: “Não tenha medo…” Esta passagem transmite uma profunda mensagem de confiança e coragem. Para entender melhor esta passagem, é pertinente primeiro desvendar seu contexto sociológico. Durante o tempo de Jesus, a comunidade judaica vivia sob o império romano, com vários níveis de liberdade religiosa e perseguição. Os judeus enfrentaram pressões sociais e religiosas, incluindo hostilidade de algumas facções dentro de sua própria comunidade e possível perseguição das autoridades romanas. Este contexto sociológico influenciou a mensagem que Jesus transmitiu aos seus discípulos. Assim, no versículo 26, Jesus exorta Seus discípulos a não terem medo (φοβηθῆτε – phobēthēte) daqueles que se opõem a eles. Ele enfatiza que nada oculto permanecerá oculto, e o que é sussurrado será proclamado abertamente. Esta instrução encoraja os discípulos a serem corajosos em sua missão, não sucumbindo ao medo (φόβος – phobos) e estando dispostos a compartilhar abertamente os ensinamentos que receberam de Jesus. Nesse sentido, Jesus tranquiliza Seus discípulos sobre o cuidado e a proteção de Deus. Ele usa a imagem de pardais sendo vendidos por um centavo, enfatizando seu valor aparentemente insignificante. No entanto, Ele destaca que nenhum pardal cai no chão sem o conhecimento e cuidado do Pai. Essa garantia ressalta o olhar atento de Deus e a preocupação até mesmo com os menores detalhes de Sua criação. Jesus então enfatiza o valor imensurável dos próprios discípulos, lembrando-os de que eles valem mais do que muitos pardais.

As leituras de hoje nos lembram dos desafios, dificuldades e até perseguições que podemos encontrar ao seguir o chamado de Deus. Assim como Jeremias, podemos enfrentar oposição, zombaria e até isolamento por defender o que é certo e proclamar a verdade de Deus. Podemos até nos encontrar em um ambiente bastante hostil à nossa fé cristã e aos nossos valores fundamentais; no entanto, somos encorajados a permanecer firmes com fé inabalável, confiando que Deus está conosco em meio a nossas lutas. Portanto, em nossos momentos mais sombrios, a presença e a fidelidade de Deus são nossa fonte de força. Podemos nos consolar com o conhecimento de que Deus nos sustentará, nos capacitará e, por fim, trará justiça e redenção. Que possamos encontrar inspiração no exemplo de Jeremias e permitir que o fogo de Deus queime dentro de nós, impulsionando-nos para cumprir nosso propósito e proclamar fielmente a verdade de Deus, independentemente dos desafios que possamos enfrentar.

Mais uma vez, queridos amigos em Cristo, ao refletirmos sobre essas leituras, vamos extrair força dos exemplos apresentados a nós. Sejamos como Jeremias, inabaláveis em nossas convicções e encontrando refúgio na presença de Deus. Sejamos como o salmista, buscando consolo no conhecimento de que Deus ouve nossos clamores e nos erguerá das profundezas do desespero. Abracemos a graça imensurável que nos foi concedida por meio do sacrifício de Cristo, conforme declarado por São Paulo, e eliminemos todo medo (φόβος – phobos) e encontremos coragem na promessa de que Deus conhece, cuida e valoriza cada um de nós intimamente, como Cristo nos encoraja no evangelho. Ao embarcarmos em uma nova semana, que possamos levar essas mensagens poderosas em nossos corações. Enfrentemos todos os desafios que temos pela frente com fé e confiança inabaláveis, sabendo que nunca estamos sozinhos. A jornada nem sempre é fácil, mas podemos ter certeza de que o Deus que nos criou, nos redimiu e nos santifica diariamente, nos capacitará para superar todos os obstáculos – portanto, não tenha medo!

(CLIQUE AQUI PARA A REFLEXÃO DO PRÓXIMO DOMINGO: REFLEXÃO/HOMILIA PARA O DOMINGO DÉCIMO TERCEIRO DO TEMPO COMUM)

Shalom!
© Pe. Chinaka Justin Mbaeri, OSJ
Paróquia Nossa Senhora de Loreto, Vila Medeiros, São Paulo.
nozickcjoe@gmail.com / fadacjay@gmail.com
___________________________________
PS: Você já rezou o seu terço hoje?

NEVER MISS AN UPDATE AGAIN.

Subscribe to latest posts via email.


Chinaka Justin Mbaeri

A staunch Roman Catholic and an Apologist of the Christian faith. More about him here.

View all posts
Subscribe
Notify of
guest

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

1 Comment
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Theresa Peters
Theresa Peters
11 months ago

Good morning please Fr send me the in English version thanks Fr

1
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x

Discover more from Fr. Chinaka's Media

Subscribe now to keep reading and get access to the full archive.

Continue reading