REFLEXÃO/HOMILIA PARA A SOLENIDADE DA ASCENSÃO DO SENHOR

1ª Leitura – At 1,1-11
Salmo – Sl 46,2-3.6-7.8-9 (R.6)
2ª Leitura – Ef 1,17-23
Evangelho – Mateus 28,16-20

____________________________________

A Parte do Credo que professamos todos os domingos e outros dias de solenidades: “Subiu ao céu”. Isto é que hoje celebramos. Poderíamos nos perguntar se a Igreja Católica dá mais atenção a um ato feito por Jesus (ascensão), uma vez que ele venceu a morte pela ressurreição?

A ascensão de Cristo faz referência a ponto culminante do plano divino de Deus de seu retorno a seu Pai, assim revelando sua “missão cumprida.” É um ponto culminante, que não significa a conclusão, mas um novo começo, um ato que traz esperança para a humanidade da realização da proximidade definitiva com Deus. Ou podemos dizer parafraseando o teólogo Jurgem Moltmann, a fé cristã é dada pela esperança de vida nova declarada pela Ressurreição de Jesus.

A ascensão traz uma visão paradoxal: Cristo subir para o Pai ao mesmo tempo em que permanece conosco até o fim dos tempos. O que hoje celebramos é a exaltação de Jesus e o fim da sua existência terrena, como um prelúdio para o dom do Espírito que garante sua permanência na História, como é expressada por ele mesmo: “Estarei sempre convosco; Sim, até o fim dos tempos” (Mt. 28:20)

As leituras de hoje dão mais significado a esta festa. Na primeira leitura (Atos 1, 1-11), Lucas dá conta do evento da Ascensão como registrado no primeiro capítulo dos Atos dos Apóstolos. Em primeiro lugar, Jesus instruiu os seus apóstolos a permanecer em Jerusalém e esperar por o batismo pelo Espírito Santo, para que eles possam se tornar suas “testemunhas até os confins da terra” pelo poder do Espírito Santo. Então uma nuvem levou Jesus a partir da visão dos discípulos e dois mensageiros celestes em vestes brancas deu-lhes a certeza da volta de Jesus na glória. Em consonância, a resposta do Salmo: “Deus sobe com gritos de alegria: ele sobe com explosão trombetas” (cf.Salmo 47).

Isto celebra a realeza universal de Deus. O Salmo foi originalmente cantado em conexão com uma procissão de culto honrar a Arca da Aliança. Por sua Ascensão, o Senhor ressuscitado (a Nova Aliança) da mesma maneira “monta seu trono” em glória. A mensagem continua na segunda leitura de uma forma mais dinâmica. A partir da segunda leitura (Ef 1,17-23; alternativo Hebreus 9,24-28; 10, 19-23): Em Efésios, Paulo explica o significado teológico da exaltação de Jesus, dizendo: “Que Deus ilumine os olhos do nosso corações para que saibamos a grande esperança para a qual fomos chamados.” A nossa grande esperança é que um dia nós também seremos ascendentes à glória celeste, desde que, com a sua graça, vivemos a nossa fé n’Ele através da missão de serviço amoroso Ele nos confia.

A Ascensão é mais estreitamente relacionada, no significado, para o Natal. Em Jesus, o humano e o divino se uniram na pessoa e na vida de um homem (união hipostática); Na Ascensão, esse ser humano (o corpo ressuscitado de Jesus) tornou-se por toda a eternidade uma parte de quem é Deus. Não foi o espírito de Jesus ou a natureza divina de Jesus que subiu ao Pai. Mas a Pessoa de Jesus, que inclui sua historicidade terrena, a natureza humana e sua divindade. É a Pessoa de Jesus que nos possibilita a proximidade estrita com Deus. A proximidade de sua natureza humana, nos ajuda a vislubrar a proximidade de nossa humanidade à Deus.

Enquanto não chega nosso momento, assumimos a responsabilidade do anúncio do Evangelho. Nós precisamos ser anunciadores e evangelizadores: No Evangelho de hoje, Jesus dá a sua missão a todos os crentes. Esta missão não é dada a um grupo seleto, mas a todos os crentes. Ser cristão é ser um proclamador e evangelizador. Há uma diferença entre a pregação e proclamação. Pregamos com palavras, mas proclamamos com nossas vidas. O Tempo de espera entre a Ascensão de Jesus e a nossa devemos nos dedicar a anunciar o Evangelho da vida e do amor, da esperança e da paz, com o testemunho da nossa vida neste dia de esperança, encorajamento e comissionamento, renovamos nosso compromisso de ser verdadeiros discípulos em todos os lugares.

Alguns dias a partir de agora, vamos comemorar a descida do Espírito Santo sobre Maria e os Apóstolos, sobre a igreja, as nossas famílias, e sobre a cada um(a) de nós. Pelo Espírito Santo, tornamo-nos animadas, e nossas ações tornam-se animados de uma nova maneira, tornando-nos “Cristos” no mundo.

Pedimos o Espírito Santo para iluminar continuamente nossas mentes e corações para que saibamos a grande esperança a qual fomos chamados e vivemos a mensagem da ascensão.

Shalom!
© Fr. Chinaka Justin Mbaeri, OSJ
Paroquia Nossa Senhora de Fatima, Vila Sabrina, São Paulo, Brazil
nozickcjoe@gmail.com / fadacjay@gmail.com
+5511983250125

NEVER MISS AN UPDATE AGAIN.

Subscribe to latest posts via email.

Chinaka Justin Mbaeri

A staunch Roman Catholic and an Apologist of the Christian faith.

View all posts
Subscribe
Notify of
guest

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

0 Comments
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x