REFLEXÃO/HOMILIA PARA A MEMÓRIA DOS SANTOS JOAQUIM E ANA, PAIS DA SANTÍSSIMA VIRGEM MARIA

SAGRADA ANCESTRALIDADE: A HERANÇA ESPIRITUAL DE SÃO JOAQUIM E SANTA ANA

Primeira Leitura: Eclesiástico 44:1,10-15
Salmo Responsorial: Salmo 131(132):11,13-14,17-18
Leitura do Evangelho: Mateus 13:16-17
____________________________________

A Memória de São Joaquim e Santa Ana, pais da Bem-Aventurada Virgem Maria, é uma ocasião para reflexão sobre o papel essencial que a ancestralidade desempenha na história da salvação e como suas vidas encontram ressonância nas leituras propostas.

Na primeira leitura do Livro do Eclesiástico, somos lembrados da importância de honrar nossos antepassados e daqueles que vieram antes de nós. A trajetória de São Joaquim e Santa Ana, como avós de Jesus Cristo, destaca a importância de nossas raízes e da transmissão da fé de uma geração para outra. Eles personificam a continuidade da fé e da devoção, que é transmitida através dos tempos, como uma chama que nunca se apaga. Sua vida exemplar é um chamado para que também valorizemos e preservemos nossas tradições espirituais, passando-as adiante para as gerações futuras.

O Salmo Responsorial, retirado do Salmo 131, acentua o poder da humildade e da confiança em Deus. Reflete-se sobre a escolha de Deus em estabelecer uma morada em Sião e sobre o seu compromisso em abençoar a descendência de Davi. A relação com São Joaquim e Santa Ana é notável aqui, pois foram agraciados com a graça divina de gerar e criar a Virgem Maria, que se tornaria o tabernáculo vivo do Altíssimo. Suas vidas exemplificam a humildade de coração e a confiança absoluta em Deus, que os conduziu em sua jornada de fé. Aprendemos, assim, a importância de abrir nossos corações para a presença divina e permitir que Deus atue em nossas vidas, assim como Ele o fez nas vidas dos santos pais de Maria.

Na leitura do Evangelho de Mateus, somos confrontados com a bem-aventurança daqueles que têm olhos para ver e ouvidos para ouvir a Palavra de Deus. Essa passagem ressalta a profundidade e o significado oculto das verdades espirituais, que muitas vezes escapam aos olhos daqueles que não têm a mente aberta e o coração receptivo. Em relação a São Joaquim e Santa Ana, encontramos dois exemplos de pessoas que ouviram e obedeceram aos chamados divinos, mesmo que esses chamados não fossem óbvios para os outros. Eles foram agraciados com a graça da maternidade e paternidade divina, apesar de serem inicialmente estéreis. Esse aspecto da leitura nos desafia a estar atentos aos sinais da presença de Deus em nossas vidas, mesmo que esses sinais possam parecer sutis ou desconcertantes.

Portanto, ao meditarmos sobre a Memória de São Joaquim e Santa Ana e ao relacioná-la com as leituras propostas, somos convidados a valorizar e honrar nossas raízes espirituais, a confiar na providência divina e a estar atentos aos sussurros de Deus em nossas vidas. Eles são um lembrete poderoso de que nossa fé é uma jornada contínua, transmitida de geração em geração, e que Deus age de maneiras misteriosas, mas amorosas, em nossa vida diária. Que a inspiração desses santos pais nos impulsione a abraçar a nossa fé com humildade, confiança e coração aberto para a Palavra de Deus.

(CLIQUE AQUI PARA VER A REFLEXÃO DO PRÓXIMO DIA: REFLEXÃO/HOMILIA PARA QUINTA-FEIRA DA 16ª SEMANA DO TEMPO COMUM)

Shalom!
© Pe. Chinaka Justin Mbaeri, OSJ
Paróquia Nossa Senhora de Loreto, Vila Medeiros, São Paulo, Brasil
nozickcjoe@gmail.com / fadacjay@gmail.com

__________________________
Já rezaste o teu terço hoje?

NEVER MISS AN UPDATE AGAIN.

Subscribe to latest posts via email.


Chinaka Justin Mbaeri

A staunch Roman Catholic and an Apologist of the Christian faith. More about him here.

View all posts
Subscribe
Notify of
guest

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

0 Comments
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x