HOMILIA/REFLEXÃO PARA SEGUNDA-FEIRA DA DÉCIMA SEGUNDA SEMANA DO TEMPO COMUM

NÃO PODEMOS ESPERAR INSPIRAR MUDANÇA NOS OUTROS SE NÃO PASSARMOS POR UMA CONVERSÃO PESSOAL

Primeira Leitura: Gênesis 12,1-9
Salmo Responsorial: Sl. 32(33),12-13,18-20,22
Leitura do Evangelho: Mateus 7,1-5
_____________________________________________

Num ambiente marcado pelo fluxo constante, a necessidade de transformação torna-se cada vez mais evidente. Testemunhamos convulsões sociais, lutas pessoais e um anseio por algo mais significativo em nossas vidas. É dentro desse contexto que as leituras de Gênesis 12:1-9, Salmo 32(33):12-13,18-20,22 e Mateus 7:1-5 fornecem percepções inestimáveis sobre o chamado para uma mudança radical.

Descansando no pano de fundo estabelecido, agora podemos entender por que em nossa jornada de fé, muitas vezes nos deparamos com momentos em que Deus nos chama para sair de nossas zonas de conforto, desafiando-nos a deixar para trás o familiar e abraçar o desconhecido. Tais momentos assemelham-se ao encontro central de Abraão com o Divino, como testemunhamos na Primeira Leitura (Génesis 12,1-9), a extraordinária chamada de Deus a Abraão, exigindo que se desenraíze da sua pátria e se dirija a um destino desconhecido. Essa mudança radical não apenas alterou o ambiente físico de Abraão, mas exigiu uma mudança profunda em todo o seu ser — um abandono de seus apegos, uma reorientação de suas prioridades e uma rendição completa à vontade divina. A resposta de Abraão a esse chamado divino representa um momento crucial na história da salvação. A sua vontade de embarcar neste caminho de fé e deixar para trás a segurança da sua pátria tornou-se um paradigma para as gerações futuras. A mudança radical de Abraão tornou-se um catalisador para a formação do povo escolhido de Deus, lembrando-nos que a transformação começa com um coração humilde e obediente que confia plenamente na orientação e providência de Deus. Nesta narrativa, somos lembrados da importância de entregar nossos próprios planos e desejos à vontade divina. É por meio da confiança e da obediência que nos abrimos às possibilidades ilimitadas da orientação e do propósito de Deus para nossas vidas.

Em um nexo, o Salmo Responsorial, Salmo [32(33),12-13,18-20,22] reforça o tema da mudança ao enfatizar a importância da justiça e da confiança em Deus. Como o salmista nos lembra, bem-aventurada é a nação cujo Deus é o Senhor, e bem-aventurados somos nós quando confiamos no amor infalível do Todo-Poderoso. Buscar a retidão envolve alinhar nossos pensamentos, ações e intenções com os mandamentos de Deus, permitindo que a graça divina guie nossas decisões. É pela retidão e pela confiança que nos abrimos ao poder transformador do amor de Deus, abrindo caminho para mudanças profundas em nossas vidas.

Fazendo a transição para a leitura do Evangelho de Mateus (7,1-5), Jesus nos desafia a examinar nossos próprios corações antes de tentar mudar os outros. Em outras palavras, a leitura do evangelho reflete os ensinamentos de Jesus sobre o autoexame e o chamado para remover a trave de nossos próprios olhos antes de tentar remover o cisco no olho de nosso irmão para uma mudança real. Em outras palavras, Jesus destaca magistralmente a importância da humildade, autoconsciência e transformação pessoal. Ele nos desafia a examinar nossas próprias falhas e deficiências antes de julgar apressadamente os outros. A verdadeira mudança começa com um exame honesto e completo de nós mesmos, permitindo que a graça de Deus ilumine nossas falhas ocultas e áreas que precisam ser melhoradas. Envolve uma autorreflexão genuína que nos leva a remover as barreiras que impedem nosso relacionamento com Deus e nossa capacidade de impactar positivamente a vida dos outros.

Como cristãos, somos chamados a ser catalisadores de mudanças — mudanças que se originam de uma fonte profunda de fé, confiança e auto-exame. Esse processo transformador requer uma reorientação radical de nossos corações, mentes e ações em direção aos valores e ensinamentos de Cristo. Requer a disposição de deixar para trás os apegos que impedem nosso crescimento espiritual e abraçar os caminhos desconhecidos que Deus coloca diante de nós. Não esqueçamos que a verdadeira transformação começa dentro de nós. Não podemos esperar inspirar mudança nos outros se não tivermos passado por uma conversão pessoal. Reflitamos sobre nossas atitudes, preconceitos e deficiências, pedindo a Deus a humildade de reconhecê-los. Ao fazer isso, criamos espaço para o poder transformador de Deus operar dentro de nós, moldando-nos em instrumentos de amor, compaixão e misericórdia.

Queridos irmãos e irmãs, a necessidade de uma mudança radical ressoa profundamente no espírito humano. Nossos corações anseiam por transformação, por uma vida que transcenda o superficial e o mundano. As leituras de hoje nos lembram que a mudança verdadeira e duradoura só pode ser realizada por meio de um encontro profundo com o Divino – o chamado para embarcar em uma jornada transformadora de fé, confiança, retidão e auto-exame. Que nós, como Abraão, respondamos ao chamado de Deus com confiança e obediência inabaláveis, permitindo que Ele nos conduza a novos horizontes. Que possamos atender à exortação do salmista para confiarmos no Senhor, cultivando a justiça e nos tornando vasos da graça transformadora de Deus. E que possamos abraçar o ensinamento de Jesus sobre auto-exame, removendo as traves de nossos próprios olhos antes de buscar mudanças na vida dos outros.

Ao abraçarmos a necessidade de uma mudança radical em nossas vidas, façamos isso com fé, esperança e amor, sabendo que o poder transformador de Deus está operando dentro de nós. Que possamos ser capacitados para sermos agentes de mudança, impactando nossas famílias, comunidades e o mundo com a luz de Cristo. Nesta busca por uma mudança radical, vamos nos render humildemente à mão orientadora de Deus, pois é por meio de Sua graça que nos tornamos os instrumentos de transformação de que nosso mundo tanto precisa. E ao passarmos por essa transformação interior, podemos nos tornar catalisadores de mudanças no mundo, espalhando o amor e a misericórdia de Deus para todos que encontrarmos. Abracemos a mudança radical que Deus deseja para nós, confiando em Sua providência e seguindo Seu caminho de retidão.

(CLIQUE AQUI PARA VER A REFLEXÃO DO PRÓXIMO DIA: REFLEXÃO/HOMILIA PARA TERÇA-FEIRA DA DÉCIMA SEGUNDA SEMANA DO TEMPO COMUM)

Shalom!
© Pe. Chinaka Justin Mbaeri, OSJ
Paróquia Nossa Senhora de Loreto, Vila Medeiros, São Paulo.
nozickcjoe@gmail.com / fadacjay@gmail.com
___________________________________
PS: Você já rezou o seu terço hoje?

NEVER MISS AN UPDATE AGAIN.

Subscribe to latest posts via email.


Chinaka Justin Mbaeri

A staunch Roman Catholic and an Apologist of the Christian faith. More about him here.

View all posts
Subscribe
Notify of
guest

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

0 Comments
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x

Discover more from Fr. Chinaka's Media

Subscribe now to keep reading and get access to the full archive.

Continue reading